Jardins

O Rodeio ajudou a inventar os Jardins e continua a zelar, de domingo a domingo, pela mística da região mais sofisticada e mais exigente de São Paulo.

Imbatível no quesito ver e ser visto, inova permanentemente no cardápio, no qual a picanha fatiada, criação da casa, continua sendo a pièce de resistance. Mas, como escreveu certa vez o jornalista Geraldo Mayrink, “a verdadeira especialidade do Rodeio é gente”.

Quatro salas abrigam, nos seus 1.250 metros quadrados, uma clientela que se quer – e que de fato é – muito especial. “Ter poder é conseguir mesa no Rodeio”. A frase, do início dos anos 80, é atribuída ao então superministro Delfim Neto. Delfim nunca a desmentiu.